quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Das boas coisas que não preciso me conter.



Se um dia eu chegar muito estranha, deixe que nosso beijo cale as incertezas... e se mesmo assim ainda estiver um pouco louca, deixa essa noite saber que um dia foi pouco!
Pois pra estar junto, não precisa necessariamente estar perto.
E enquanto você pensa em mim, eu penso em você. É sempre assim.

Ahh, quando penso nos momentos é como se um holograma se fizesse em minha mente, no qual eu posso reviver inclusive sensações. É intensidade que se aprimora com a vontade que não para de crescer.


Barulho bom pra dormir, é o da chuva. Cheiro que instiga, é o da pele, sem perfume, o próprio.
Descobri que os 5 sentidos se tornam mais de mil.

Quem foi que disse que a inspiração só vem com a tristeza? A minha vem de manhã, percorrendo quintais cheios de orvalhos que vimos brotar na madrugada, vem com o cheiro do café fresco na cozinha, veio com uma boa notícia!

Também, pudera. És o mais forte de coração dos que conheço, que faz uma festa de um funeral.
É canção que faz bem a alma, é novidade no envelope...é um não-sei- o-quê que me mata!

Sabe aquele prazer que você tem ao encontrar o banco mais alto do ônibus vazio?
Ou o pudim de leite condensado com a colher pousada sob o prato? Ou o cd mais procurado dos últimos tempos? Nada disso se compara quando seu barco atraca no píer da cidade.
Isso porque a alegria fez da sua alma, morada... e por culpa sua, faz da minha também.

É o que eu sempre digo, tem vez que saudade faz bem!

2 comentários:

Quel disse...

NÚ! QUE LINDO RÊ!

Ai, que vontade de sentir isso também! Essa felicidade extrema, mas ao mesmo tempo, tranquila.

E principalmente, do nao precisar conter....

Bjos;-)

Thaís Alves disse...

Ai que felicidade gostosa! Espero que seu coração e a sua alma continuem sendo alimentados exatamente assim! :) Beijos