domingo, 27 de junho de 2010

Está tudo muito estranho.

Disse que ia voltar só nas férias, mas não aguentei.
Ao ler um post do blog do meu irmão sobre a culpa dos pais na falta de limite dos seus filhos, comecei a pensar em uma coisa que já estava na minha cabeça há algum tempo.
Sabemos que convivemos em um tempo de inúmeras dificuldades, não osbstante às coisas boas também que não poderíamos contar nos dedos das mãos.
Mas acho que existe um problema crucial, cujo não consigo encontrar uma solução pronta, porém a sua discussão talvez favoreça uma melhora ou algo do tipo.
Sem mais rodeios, falo da FALTA DE LIMITE da nossa sociedade como um todo. Vivemos na era em que as pessoas não respeitam mais os limites das outras, assim como elas mesmas não impõem de forma adequada os seus próprios limites. Tudo pode, tudo é permitido... ficamos sem um referencial, perdidos. Não sou do tipo moralista, acredito sim na liberdade, mas acho melhor que cada coisa fique no seu lugar de forma clara, então não vamos confundir as coisas.
Com tudo isso dito acima, reafirmo a tese de que "a mudança mora em você". Logo, se cada um fizer a sua parte, no fim com certeza algo vai ter mudado.
Por isso, peço a você para não extrapolar no seu "fulano's way of life." Somos todos seres livres e independentes claro, porém não se esqueça de que você não é o Will Smith em "Eu sou a Lenda", você não está sozinho no mundo, honey. Existem coisas básicas para a convivência em sociedade que se mostram importantes e que devem ser conservadas. Viva sua vida como achar melhor, afinal ela é SUA VIDA, porém não se esqueça que a minha e a dos outros e inclusive a daqueles que virão no futuro também têm direitos.
Sinto falta das pequenas gentilezas no trânsito, no supermercado, em qualquer lugar, sem motivo, sem a prerrogativa de se conhecer ou precisar de algo em troca. Sinto falta do amor pelo amor, do ser humano pelo ser humano. NÃO à banalização do "muito obrigado", do " me perdoe", e até do " eu te amo."

Gosto muito de uma coisa que meu irmão ( o mesmo do post que me inspirou este) sempre fala:
"Se nada disso te interessa, não tem problema. No fim das contas, são apenas palavras."

É isso.

3 comentários:

natália disse...

e são por essas "pequenas" banalizações que as pessoas deveriam começar a mudança. ;)

gostei muito do seu texto! agora que voltei pro blogger terei mais tempo de acompanhar.

;*

Thaís Alves disse...

Falta limite, falta respeito, há total inversão de valores! Por isso para todo mundo que se acha "a lenda" e não respeita o meu espaço, eu me comporto como "o mito". Quem sabe o seu lugar nunca me terá invadindo o seu espaço. Eu adotei sim, aquela famosa "minha educação depende da sua", porque não aguentava mais ser massacrada! Ainda bem que existem pessoas como você, irmã! Pra que eu possa ser uma pessoa como eu alguma parte do meu dia! Beijos

Quel disse...

Ah, e como tem faltado gentileza no transito! Meodeus, o caos faz qquer um querer matar alguém.

É o hedonismo exacerbado. Todo mundo so querendo so o seu prazer, o seu direito, a sua valorização, ser o dono da verdade.

De fato a mudança começa em cada um de nós, mas eu acho que tá todo mundo esperando outro começar...

Bjo!