domingo, 11 de abril de 2010

Eu detesto me fazer de vítima.
Detesto não sorrir, ser uma pessoa triste.
Não gosto de remoer e nem de sofrer.
As coisas mudam, o tempo passa, tudo passa. ( até uva...)
Só que, hoje... agora... eu vou me permitir um silêncio.
Uma dor.
Uma solidão.

Só por um momento.
Só hoje.

4 comentários:

Laura disse...

Permita-se sim, mas com elegância.
nada de silêncios e solidões muito extravangantes e prolongados, viu?

um dia vamos sair pra nos encontrar? (queria tanto ver você xuxu!)

e a dengue? tá melhor? beijo!

Quel disse...

"Desejo por sinal que você seja triste,
Não o ano todo, mas apenas um dia.
Mas que nesse dia descubra
Que o riso diário é bom,
O riso habitual é insosso e o riso constante é insano.
Desejo que você descubra ,
Com o máximo de urgência,
Acima e a respeito de tudo, que existem oprimidos,
Injustiçados e infelizes, e que estão à sua volta."

(Victor Hugo)



Desejo
que voce tenha a quem amar
E quando estiver bem cansado
Ainda
Exista amor pra recomeçar
Pra recomeçar.

(Frejat)


Bjão =)

Sandro Ataliba disse...

Tudo tem um lado positivo. O "bom" de ter acontecido tudo de uma vez, é que você também vai se livrar de tudo de uma vez. E levantar de uma vez só, no pique, nova em folha, pronta para outra. Sei disso, e sei que você também sabe. Afinal, somos como bambus: podem nos envergar, mas é preciso muito peso para nos fazer quebrar. ;)

Te amo, irmã!

Lucas Souto disse...

Uma pessoa que eu gosto me indicou um blog de alguém que ela gosta. =D

Esse post me lembrou de um texto de Dostoiévski. Aliás, de um texto que me inspirou a criar um blog - que se chamava "mepermitindo". Um blog que inspirou um poema de um amigo...

Enfim, seu blog já me trouxe boas lembranças... obrigado!