quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Minas são muitas.



"Vai diminuindo a cidade,
Vai aumentando a simpatia,
Quanto menor a casinha, ai ai
Mais sincero o "bom dia"...

Mais mole a cama em que durmo,
Mais duro o chão que eu piso,
Tem água limpa na pia, ai ai
Tem dente a mais no sorriso..."

Propaganda da Globo Minas ao som calmo da banda Pato Fu.

Acho lindinha essa música e me traz uma paz...
Minas é isso, é simplicidade, é paz, é tranquilidade. Adoro viajar pelo interior do meu Estado, acampar...conhecer pedacinhos dessa terra que é tão grande. Aprendi a gostar de tudo isso, a valorizar o interior depois de passar por muitas coisas na "cidade grande". Minas são muitas.

Adooooro.

sábado, 23 de janeiro de 2010

1, 2, 3...GO!



Acho que todo mundo merece um tempo de "altas" da vida real. Defino como vida real aquela vida de rotina de trabalho, estudo e volta pra casa. Todo mundo merece um tempo de loucura, algo que aparentemente não vá fazer você ser bem sucedido na vida ( no âmbito financeiro que eu digo.)

A gente fica muito preocupado em ser o melhor profissional, o melhor na área, o mais inteligente e cheio do dinheiro. Porém, de que vale tudo isso se não se tiver vivido experiências interessantes? Se não tiver feito o que realmente se quis em algum momento da vida?

"Nenhuma cidade pode viver em paz, quaisquer que sejam suas leis, quando seus cidadãos(...) não fazem nada senão banquetear-se, beber e entregar-se até a exaustão às preocupações do amor." (Platão)

Mas seria tão ruim assim viver desse jeito só por algum tempo?

Sei que as responsabilidades gritam, as contas chegam etc. Mas calma...
Estou lendo um livro muito interessante que conta a trajetória de uma mulher que largou tudo em busca do conhecimento pessoal. Ela viajou pela Itália, Índia e Indonésia durante um ano. Ela explica a escolha de cada um desses países, que não me cabe explicar aqui. Por enquanto só li a estadia dela na Itália, mas já deu pra ter uma boa idéia de como será o livro. O que eu quero dizer é que não precisamos largar tudo e sair viajando o mundo todo embusca do auto conhecimento. (claro que seria maravilhoso. Mas nem sempre é viável). O que eu quero propor aqui é que façamos o bolo com a farinha que temos. Permita-se conhecer algum lugar próximo a sua cidade que você sempre quis. (no meu caso, Inhotim, brevemente.) Permita-se ir a uma sorveteria sem culpa e misturar sorvete de pistache com sorvete de chiclete, se isso te der prazer. Dê chances a si mesmo de sentir prazer com qualquer coisa, por mais simples que seja, sem julgamentos. Seja carinhoso, gentil com você mesmo. Boas coisas da vida estão sempre perto da gente e não aproveitamos por "falta de tempo" ou por até "preguiça" de fazer alguma coisa fora da rotina. Vamos ser criativos, vamos inventar desculpas para sermos felizes...Não é questão de se tornar irresponsável, mas sim de tornar o responsável do próprio bem estar.


vamos?!

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Saia do muro.


(Descobri essa escritora há poucos dias e já a estou adorando. Resolvi então colocar aqui um fragmento de um texto dela, que inclusive é muito apropriado pra todos nós.)

"Sempre desprezei as coisas mornas, as coisas que não provocam ódio nem paixão, as coisas definidas como mais ou menos, um filme mais ou menos ,um livro mais ou menos. Tudo perda de tempo. Viver tem que ser perturbador, é preciso que nossos anjos e demônios sejam despertados, e com eles sua raiva, seu orgulho, seu asco, sua adoraçao ou seu desprezo. O que não faz você mover um músculo, o que não faz você estremecer, suar, desatinar, não merece fazer parte da sua biografia."

Marta Medeiros.

Concordo com isso sabe? Só se percebe que se está vivendo quando as emoções são despertadas. Na nossa vida, os momentos que sempre são lembrados são os de muito choro ou muito riso. Tranquilidade é para plantas. Não seja assim! Sinta, fale, grite, chore, ria, viva intensamente!

Independente de religiões ou crenças, a Bíblia Sagrada sempre tem algo a dizer, coisas no mínimo interessantes. Em Apocalipse 3:15-16 diz assim: “Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; oxalá foras frio ou quente! Assim, porque és morno, e não és quente nem frio, vomitar-te-ei da minha boca.”

Por favor, não seja morno! Ficar em cima do muro não traz nada pra ninguém e você ainda pode cair de lá e se machucar. Não passe despercebido. Esse mundo é muito grande e tem muito espaço para diversidade. Há um lugar para você fazer o que ninguém mais sabe fazer. Há sempre um espaço para seu talento ser mostrado. Seja esse talento muito visível ou apenas um talento tímido, mas que faz toda a diferença.

Faça você a diferença, principalmente na sua própria vida.

;)

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

será que todo dia vai ser sempre assim?


Parei de pensar e comecei a sentir...ao menos nas férias da faculdade, que é quando nos sentimos mais livres para fazer as coisas com mais calma e não esquentamos tanto a cabeça, parei de medir demais, de pensar demais. Já reparou como os melhores programas com amigos, as melhores saídas, as melhores viagens são naqueles momentos que não pensamos muito, não planejamos muito e simplesmente fazemos?
Não acredito muito em signos, porém tem umas coisas que batem muito, não tem como negar. Sou virginiana, signo bendito. (pra não dizer o contrário)
Signo de pessoas que sofrem com elas mesmas por serem muito metódicas, muito perfeccionistas, muito detalhistas, que pensam muito antes de tomar uma decisão...que preguiça! Não, mentira...
Têm vezes que tudo isso pode parecer vantagem, qualidade mesmo. Mas pra quem é assim, quem convive com o fato de "ter que ser perfeito em tudo", não é muito agradável. Tenho o costume de viver medindo a minha vida, viver checando se tudo está bom, está certo. Uma mania de ficar verificando tudo, ficar fazendo revisões que no fundo só servem para detectar defeitos e coisas que não podem ser mudadas, só servem pra fazer sofrer atoa.
Sempre acreditei que pensar demais não é bom. Às vezes ser ignorante com certas coisas é melhor do que saber de tudo. " Ignorância é força." ( livro 1984 - George Orwell)
Por isso que agora que não tenho que pensar obrigatoriamente, vou parar um pouco de pensar. Vou acordar a cada manhã, fazer o que eu tenho que fazer ( porque ainda não consegui me libertar das minhas obrigações) e simplesmente viver. Achar tudo lindo, admirar as obras divinas, sorrir calmamente e parar de ser um fruto do sistema que quer me preocupar cada vez mais, quer sugar minha vida humana cada vez mais...
vamos aproveitar mais o dia?!

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Vontade não se discute.


Depois que eu ouvi essa frase em uma aula do semestre retrasado de história contemporânea (não me peça pra explicar o contexto porque eu não me lembro) isso não sai da minha cabeça e acabo concordando que é uma p* verdade.

Pode ser errado, pode ser inconcretizável (?), pode ser impossível. Mas a sua vontade de fazer, ser e ter não se discute. Quando se tem a vontade, se tem e pronto. Mesmo que você se envergonhe ou esconda essa vontade bem la no fundo do seu ser, ela ainda continua lá, te assombrando de tempos em tempos.

Porém, não quer dizer que temos que realizar todas as nossas vontades a qualquer custo. Infelizmente, a vida é feita de escolhas e, pra cada uma delas, há uma renúncia. Não se pode ter tudo. E todas as decisões implicam lados bons e ruins.

Há de se ter serenidade para distinguir o possível do impossível. Para saber renunciar o que não te fará tanta falta assim ou até mesmo o que poderá ser reversível. Paciência. Sabedoria. Atitude. Calma.

"Viver é muito perigoso." - Grande Sertão Veredas.

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

So, just pull the trigger



Qual o tipo de sentimento que essa imagem desperta em você?

É tão engraçado como o tempo (chuva, sol, sensação de calor, de frio, etc) altera o nosso estado de espírito. Não sei como isso funciona pra você, mas pra mim me sinto muito mais inspirada a refletir e criar nos tempos chuvosos. Não é só por estar "presa" em casa que isso ocorre. Há uma mudança dentro de mim, que me faz respirar mais fundo, piscar os olhos com mais lentidão. Como se esse tempo me convidasse a pensar mais na minha vida, a refazer os planos, esse tipo de coisa.

Nos dias de sol, pelo contrário eu quero viver. Não quero pensar em nada, quero apenas sair, andar ao ar livre, "chutar o balde" e carpe diar...

Não diminuindo de forma verdadeira a quota de alegria interna ou bom humor, em um clima frio somos mais nostálgicos. Talvez mais introspectivos, mais Clarice Lispector do que Amélie Poulain, personagem que poderíamos incorporar em um dia de sol e céu azul. O que quero dizer é que, parece que quando está frio, chovendo e afins, parecemos ser mais interessantes. Não quer dizer que estamos tristes e deprimidos de fato, mas esse tipo de dia chuvoso, ao menos pra mim, traz um "Q" de inspiração que temos só quando estamos tristes. É a tristeza poética, ou a falsa tristeza, que forjamos sentir incoscientemente. E eu adoro esses momentos. Tenho certeza que escritores top de linha de todo mundo usam isso para seus momentos de criatividade. Talvez a grande diferença entre um bom escritor e um mero mortal seja ter total controle de como e quando se usa esse recurso.

Coisa parecida acontece com as músicas.
Um certo tipo de música + chuva + cheiro de terra molhada + frio + um bom livro = a resultados interessantíssimos.

Mas esse é assunto pra outro post.

"Memory fuses in shatters out glass, but carry your future, forget the past...."
- Leaving NY - R.E.M

domingo, 3 de janeiro de 2010

Audaces fortuna iuvat

Eu adoro frases. Acredito que as frases de efeito fazem a gente desencadear inúmeras linhas de raciocínio interessantes.

Essa frase eu vi em um filme que nunca imaginava que poderia ter alguma coisa desse tipo. Foi falada por um ator que eu nem conheço que interpretava um típico loser americano em Férias Frustradas de Verão, enquanto jogava em um fliperama no parque de diversões que trabalhava. Ele tinha acabado de derrotar os inimigos do jogo.

A sorte favorece os corajosos. Janeiro é um mês que normalmente temos mais vontade de acordar de manhã e começar um dia. Ao menos pra mim, um ano que começa me dá a impressão de renovação, é como se eu pudesse mudar o que eu quisesse na minha vida que com certeza iria dar certo. Devemos aproveitar esses momentos de pequenas esperanças para começar a mexer nossos pauzinhos. A vida é longa para perder tempo se lamentando pelo que não deu certo e curta demais para ficarmos parados, sem realizármos nossos sonhos.

A definição de "coragem" é enconrada assim no dicionário Aurélio da língua portuguesa: Firmeza; energia diante do perigo; audácia; ousadia.

Ser corajoso é se ter, ou procurar no nosso interior energia para mudar o que nos ameaça. Essa ameaça pode ser concreta ou apenas emocional. Em alguns momentos, o maior inimigo que temos somos nós mesmos. Nós temos a maior força sobre nosso próprio ser. Ficar se boicotando é a pior coisa que podemos fazer. Então não pense que quando ficamos tristes com alguém, foi a pessoa que nos fez algum mal. Ok, ela pode até ter feito algo não muito agradável, porém, fomos nós que escolhemos ficar tristes pelo o que ela fez. É muito difícil desvencilhar todos esses sentimentos que temos quando sofremos a ação do outro, mas tudo vem com a prática. Se não começarmos a praticar, nunca vamos conseguir fazer a diferença. Ser corajoso é ser audacioso nos planos, é pensar grande, é não se subestimar, é ser firme nos propósitos, convicções, é ser determinado.

Falar de sorte é meio complicado. Eu acredito que fazemos a nossa própria sorte. Acredito que a sorte vem com a consequência de atos praticados por nós. No dicionário sorte se define assim: Destino, risco; felicidade.

Repare bem que sorte é risco. Ou seja, sentado no sofá na segurança do seu lar você não encontrará a sorte. Sorte é arriscar. É mudar de paradigma, de mirante, de modo de fazer as coisas. Sorte é destino. É futuro. Sorte é felicidade!

Juntando todas as peças: A sorte favorece os corajosos. A felicidade favorece os audaciosos. O Destino favorece os ousados.

Pense nisso. Cair faz parte do jogo. Se levantar também.
Eu te desafio.

sábado, 2 de janeiro de 2010

Ano Novo, Blog novo!



Bem, esse post é mais para me dar as boas vindas no blog novo! Quem me conhece há muito tempo sabe que já tive alguns blogs e como eu gostava de escrever neles. Porém, depois de um tempo eu meio que me cansei, não da vontade de escrever, mas de ficar refém de atualizações, sei lá. Resolvi criar um novo blog, em um novo ano, para escrever...e simplesmente isso. Não tenho a intenção de fazer um diário da minha vida. Podem haver posts um pouco mais pessoais, outros não. Algumas críticas, artigos, ou simplesmente fragmentos de idéias ou músicas. Esse blog será um espaço de livre criação pra mim. Simples assim.


Espero que se torne interessante para quem ler também.
Feliz Ano Novo!